Moinhos de Cabeceiras de Basto – forma das construções (continuação)

pavimento 

O pavimento do piso onde se localiza a moenda é maioritariamente em grandes blocos de pedra. Encontram-se ainda pavimentos em soalho, e, noutros casos, granito na parte inferior das moendas e madeira na área restante.
 
O pavimento do cabouco é em geral em terreno natural.

cobertura

Cerca de 1/3 das moagens identificadas já não apresentam cobertura.

Quanto à morfologia da cobertura, foi possível identificar:
 
– 81 uma água (21%);
– 227 duas águas (59%);
– 10 quatro águas (3%);
– 1 três águas.

 
A cobertura de duas águas predomina assim em todo o território concelhio.  
A de uma água encontra-se em geral junto de locais com declive acentuado, onde a própria cobertura acompanha a inclinação da vertente. Encontram-se essencialmente nas freguesias de montanha do Norte do concelho.
As coberturas de três ou quatro águas surgem em construções de maior dimensão.
 
Outrora, as coberturas eram praticamente todas em colmo. Permanecem no tempo as suas marcas, visível no sistema de cápeas e guarda-ventos na beira das empenas.

Como material de cobertura temos: pedra, em construções mais cuidadas; telha, em geral de meia cana, mas também, nalguns casos, marselha; chapas de zinco e nas reconstruções, ou construções mais recente, surgem coberturas em placas de argamassa de cimento.

São raros os moinhos em que existem asnas de suporte da cobertura. As coberturas são maioritariamente estruturas muito simples, constituídas pelo pau de fileira, por varas, que lhe são perpendiculares, onde depois de fixam as ripas para o assentamento da telha.

Conclusão:

Podemos, assim, concluir que os moinhos do concelho na sua generalidade se apresentam como construções de forma simples, extremamente utilitárias, materializada em quatro paredes, uma porta de entrada e cobertura.
São influenciadas por factores naturais, utilizando os materiais geológicos existentes nos locais, e formais, pela adopção de uma arquitectura em estreita relação com o meio, de construção muito intuitiva.
Revelam ainda as condições socio-económicas dos seus proprietários e da sua forma de exploração.

Esta entrada foi publicada em Moinhos com as etiquetas , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s