Museu das Terras de Basto apresenta “Memórias do Território: 3.º Encontro de História Local”

A Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto através do Museu das Terras de Basto, organizou nos dias 17 e 18 de Maio (sexta e sábado), as «Memórias do Território: 3.º Encontro de História Local», que contou com a participação de meia centena de pessoas.
No dia 17 de maio, sexta-feira, foram apresentadas seis comunicações:
«A Rede de Museu e Sítios do Ave», por Paulo Costa Pinto, Gestor de Projetos de Cultura e Turismo na Comunidade Intermunicipal do Ave;
«Camilo Castelo Branco por Terras de Basto: Breve reflexão», por José Manuel Oliveira, Bibliotecário e Conservador da Casa de Camilo;
«A Casa da Taipa, de António Pereira, fortes, com muro e torre,» por Ana Maria Magalhães de Sousa Pereira, Investigadora em História de Arte;
«São Bartolomeu: A ordem e o caos na Ponte de Cavez», por Albertino Gonçalves, Professor Associado com Agregação da Universidade do Minho;
«Aspetos da recuperação do núcleo pictórico do Mosteiro de S. Miguel de Refojos»; Olga e Pedro Santa Bárbara, Sócios-gerentes da empresa Oficinas Santa Bárbara, Conservação Restauro e Divulgação de Bens Culturais, Lda.;
E finalmente, «Mulheres de um Tempo sem Tempo», por Helena Cardoso, Designer de moda. Integrou em 1987, o projeto “Formação, Capacitação Profissional de Mulheres”, da Comissão da Condição feminina, e actualmente dá apoio técnico à Casa da Lã, em Bucos.
À semelhança dos dois anos anteriores o Encontro continuou no dia seguinte, 18 de maio, sábado, Dia Internacional dos Museus.
De manhã, por volta das 9h30, o grupo assistiu à inauguração da 1.ª fase da pista de comboios em miniatura, no Núcleo Ferroviário de Arco de Baúlhe. De seguida deslocou-se para Bucos onde visitaram as instalações da Casa da Lã, sediada no edifício da antiga escola primária, que foi adaptada para o efeito e onde um grupo de mulheres se dedica ao trabalho da lã. Daí se partiu para a visita à Casa da Taipa e sua capela, na freguesia de Cabeceiras de Basto (S. Nicolau), onde a Mestre Ana Maria Pereira, Investigadora em História de Arte, deu uma breve explicação da evolução arquitectónica da casa ao longo dos tempos. A visita prosseguiu, desta feita, já no Núcleo de Arte Sacra do Mosteiro de São Miguel de Refojos, onde se ficou a conhecer o núcleo de pinturas seiscentistas restauradas em 2012.
O almoço foi no restaurante regional “O Botas”, em Arosa, na freguesia de Cavez.
Daí se partiu até à Ponte de Cavez, Casa da Ponte e sua capela (capela de S. Bartolomeu), onde o grupo ouviu uma breve comunicação do Dr. Duarte Nuno Vasconcelos sobre a origem e história desta vetusta casa.
Já de regresso ao restaurante regional “O Botas”, a D. Nazaré Oliveira, doceira de Cavez, fez uma apresentação da forma como confeciona as suas cavacas e os seus rosquilhos. Ao mesmo tempo, que os visitantes puderam degustar estes deliciosos doces tradicionais.
Por fim, o grupo teve uma calorosa e alegre receção na sede do Rancho Folclórico “Os camponeses de Arosa”. O rancho dançou e os visitantes também. Terminando-se com um beberete oferecido pelo rancho, composto por iguarias tradicionais como a broa caseira, o presunto, as azeitonas, a cebola salgada e a aletria.
Garantimos que para o próximo ano há mais «Memórias do Território»!

(FC)

Este slideshow necessita de JavaScript.

Esta entrada foi publicada em Memórias do Território com as etiquetas , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s