Dia Internacional dos Museus

Miúdos e graúdos à ‘boleia’ de automotora e de pequeno comboio a vapor no Dia Internacional dos Museus

O presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves, acompanhado pela vereadora da Cultura, Dra. Carla Lousada, pelo presidente e secretário da Junta de Freguesia do Arco de Baúlhe, Carlos Teixeira e Adriano Valente, respetivamente, participou nas atividades que assinalaram hoje, dia 18 de maio, o Dia Internacional dos Museus, iniciativa dinamizada pelo Museu das Terras de Basto.

Os autarcas juntaram-se às crianças do Centro Social de Cabeceiras de Basto e embarcaram numa ‘viagem’ de automotora que saiu à linha num curto trajeto da linha da antiga estação ferroviária do Arco de Baúlhe onde está sediado o Núcleo Ferroviário do Museu das Terras de Basto. A automotora ME5, construída em 1948 nas Oficinas Gerais de Santa Apolónia, movida a gasolina, proporcionou a todos os presentes uma experiência única e muito divertida.

De referir que esta manhã e também durante a tarde, as crianças dos jardins de infância e do Centro Social de Cabeceiras de Basto andaram também no pequeno comboio em movimento designado ‘NETTA’ que foi instalado no largo em frente ao Núcleo Ferroviário do Arco de Baúlhe, uma atividade que contou com o apoio da APAC – Associação Portuguesa dos Caminhos de Ferro.

A automotora ME5 e o pequeno comboio ‘NETTA’ fizeram, assim, ao longo do dia de hoje, ‘as delícias’ a crianças, adultos e seniores neste Dia Internacional dos Museus.

De salientar que aquela automotora, a par das carruagens reais e de outras máquinas a vapor compõem o espólio do Núcleo Ferroviário do Arco de Baúlhe do Museu das Terras de Basto, um museu polinucleado que integra também a Casa da Lã em Bucos e o Núcleo de Arte Sacra na Igreja do Mosteiro de S. Miguel de Refojos.

Recorde-se que ao longo da sua existência, o Museu Terras de Basto tem vindo a dinamizar diversas ações com o intuito de sensibilizar a população em geral, mas sobretudo as crianças e jovens para a importância do museu como parceiro pedagógico.

Os Museus, enquanto instituições culturais, apresentam hoje uma programação cada vez mais dinâmica e diversificada de que se destacam as atividades pedagógicas, tecnológicas e lúdicas, que procuram ir ao encontro, sobretudo, do público mais jovem, estabelecendo formas inovadoras de diálogo entre gerações e culturas.

Anúncios
Publicado em Actividades educativas, Sem categoria | Publicar um comentário

Dia Internacional dos Museus, 18 de maio

A propósito do Dia Internacional dos Museus, 18 de maio, sexta-feira, a Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto através do Museu das Terras de Basto/Núcleo Ferroviário de Arco de Baúlhe, vai oferecer um dia muito divertido…

“NETTA” – O pequeno comboio de vapor vivo vai estar em atividade das 10h30 às 11h30 e das 14h45 às 16h30.

Trata-se de um pequeno comboio em movimento de vapor vivo, que irá transportar algumas crianças e em simultâneo, será uma forma de aprender como funcionavam os antigos comboios a vapor, que durante muitos anos circularam na linha do Tâmega. Esta iniciativa conta com o apoio da APAC: Associação Portuguesa dos Amigos dos Caminhos de Ferro.

Às 15h30 a automotora ME5 sai à linha, uma experiência que se tem apresentado anualmente, revelando apreço e admiração pelo público em geral.

Fica aqui o convite, visite-nos!

 

Publicado em Sem categoria | Publicar um comentário

Dia Internacional de Monumentos e Sítios celebrado na Casa da Lã

Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, através do Museu das Terras de Basto, associou-se hoje, dia 18 de abril, à comemoração do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios promovida pela Direção-Geral do Património Cultural (DGPC), em colaboração com a ICOMOS Portugal.

A iniciativa decorreu na Casa da Lã, um dos quatro núcleos que integram o Museu das Terras de Basto, onde os visitantes puderam participar na atividade ‘Mulheres de Bucos: conversas e lãs em dia…’.

Esta manhã, as crianças do Jardim de Infância de Bucos estiveram na Casa da Lã a assistir à execução de diversos trabalhos em lã efetuados pelas mulheres de Bucos que, na oportunidade contaram as suas histórias e partilharam experiências e memórias.

Durante a tarde, as Mulheres de Bucos estiveram a trabalhar e receberam outros visitantes neste Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, cuja celebração pretendeu salvaguardar a herança cultural, reforçar os laços identitários e fomentar o diálogo entre a tradição e o progresso.

Cabeceiras de Basto celebrou, assim, este Dia Internacional dos Monumentos e Sítios num núcleo museológico ‘vivo’, onde o visitante, para além de ver o espólio exposto, pode apreciar a arte de trabalhar a lã ao vivo que as Mulheres de Bucos partilham com mestria e sabedoria.

Publicado em Sem categoria | Publicar um comentário

Dia Internacional de Monumentos e Sítios – 18 de abril Património Cultural: de geração em geração

No dia 18 de abril, comemora-se o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, promovido pela Direção-Geral do Património (DGCP), em colaboração com a ICOMOS Portugal.

O Museu das Terras de Basto, através da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, abraça esta iniciativa, que este ano vai ter lugar na Casa da Lã em Bucos, com o tema “Mulheres de Bucos: conversas e lãs em dia…”, no dia 18 de abril, quarta-feira, das 14h30 às 17h00.

Na Casa da Lã irá conviver com um grupo de mulheres de Bucos a executar diversos trabalhos da lã, e vai ver que é um prazer ouvi-las contar as suas muitas histórias de vida!

Com este evento comemoramos o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios dando a conhecer um património secular através das vozes e das mãos das mulheres de Bucos.

Casa da lã - reportagem rtp praça da alegria com helder reis (11-10-2012) (5)

Publicado em Sem categoria | Publicar um comentário

Oficina Pedagógica: “Conteúdos, volume, cor e forma”


No âmbito do Serviço Educativo do Museu das Terras de Basto, a Prof.ª Rosário Gomes Coelho, de Educação Visual, desenvolveu um projeto com os alunos do 8.ª ano, da EB2 e 3 de Arco de Baúlhe.

Este projeto visa desenvolver a aprendizagem dos alunos, tendo em conta a exploração, através do desenho, do volume, da cor e da forma, resultante da observação das peças patentes na exposição temporária “No país do tamanco”. Realizados os desenhos os nossos jovens “artistas” coloriram-nos usando a aguarela e o pastel de óleo.

Desta iniciativa saíram belos trabalhos, que estão expostos no cantinho do Serviço Educativo do Museu das Terras de Basto.

 

Publicado em Sem categoria | Publicar um comentário

Dia Mundial da Árvore “O canteiro das ervas aromáticas”

O Museu das Terras de Basto, através da Câmara de Cabeceiras de Basto, organizou, no Dia Mundial da Árvore (21 de março), o evento “O canteiro das ervas aromáticas do Museu”.

Esta atividade vem sendo desenvolvida desde 2013 e com ela se pretende  despertar no público o interesse por preservar o meio ambiente.

Os participantes, dos ECL’s (Espaços de Convívio e Lazer) de Arco de Baúlhe e Vila Nune.

O Senhor Presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto, Francisco Alves, a Senhora Vereadora da Cultura, Dr.ª Carla Lousada e o Sr. Presidente da Junta da União de Freguesias de Arco de Baúlhe e Vila Nune, Carlos Teixeira, aproveitaram a ocasião para plantar uma laranjeira e ervas aromáticas no canteiro.

Publicado em Sem categoria | Publicar um comentário

Festa de Nossa Senhora dos Remédios

Texto de Dr. Albertino Gonçalves e Dr. João Gonçalves

A festa em honra da Nossa Senhora dos Remédios, em Arco de Baúlhe, é considerada a segunda maior do concelho de Cabeceiras de Basto. Em investimento e afluência. As celebrações decorrem no primeiro fim-de-semana de setembro, mas a festa é anunciada um mês antes com a erguida do pau da bandeira.

Na sexta-feira à noite, a procissão de velas percorre as artérias mais antigas da vila. Há quem a considere “o momento mais belo da festa”. Ordeiro e devoto, o silêncio escuta o terço cantado. Com uma vela a tremeluzir de fé na mão, cada crente é uma chama pequenina que ilumina o caminho da virtude. A procissão avança devagar, não vá alguma vela queimar à noite. Um bálsamo para o coração e um encanto para o olhar. Recolhida a procissão de velas, começam, para os mais jovens, os concertos e os festivais. Esses sim, a tentar, horas a fio, como ícaros, pegar fogo à noite.

A Procissão do Triunfo, no domingo, o ponto alto da festa. Os andores, com as imagens dos santos, são decorados com artes tradicionais, à moda antiga. Singularizam-se e distinguem-se. Ocupam muita gente, mas são motivo de orgulho. A imagem de Nossa Senhora dos Remédios também se distingue. Consta que é a única no país que está vestida com roupa de tecido.

Juntam-se milhares de romeiros em Arco de Baúlhe por ocasião da festa. Por obra de Nossa Senhora dos Remédios, em cuja capela se multiplicam os testemunhos de milagres, mas também pelas gentes do Arco de Baúlhe. Já em 1758 se escrevia: “Há neste lugar do Arco boas estalagens a que acodem muitos hóspedes por ser por este Arco estrada real que frequentam os transmontanos na comunicação que têm com os do Minho alternativa” (CAPELA, 2003:2016). Facto histórico que não surpreende um dos organizadores da festa: “a gente do Arco junta a alegria do Minho com a hospitalidade de Trás-os-Montes”.

Referência bibliográfica

Albertino Gonçalves, João Gonçalves   –  Cabeceiras de Basto: História e Património. Cabeceiras de Basto: Câmara Municipal, 2003. p. 240.

Publicado em Sem categoria | Publicar um comentário